O coordenador regional sudeste do Programa das Escolas Cívico-Militares (Pecim), coronel Afonso Celso Nithack, esteve reunido ontem com a prefeita de Sorocaba, Jaqueline Coutinho (PSL), e o secretário da Educação, Wanderlei Acca, para definir os detalhes técnicos da implantação do programa do Ministério da Educação (MEC) na Escola Municipal Matheus Maylasky, que terá início já no período letivo de 2021.

Nithack, Acca e a gestora de Desenvolvimento Educacional, Thaís Helena de Moraes, visitaram a escola no período da tarde. De acordo com o MEC, haverá capacitação para a diretoria da escola e membros da gestão da Secretaria de Educação (Sedu) com o objetivo de alinhar as propostas do programa. Também participaram da reunião no Paço o titular da Secretaria Jurídica (SAJ), Gabriel Abizaid David, e Tânia Franco, da Secretaria de Comunicação (Secom).

O Programa Nacional da Escola Cívico-Militar é uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC) em parceria com o Ministério da Defesa. Conforme o MEC, o conceito de gestão nas áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa contará com a participação do corpo docente da escola e apoio dos militares e visa contribuir com a qualidade do ensino na educação básica, além de propiciar aos alunos, professores e funcionários e uma atuação focada na melhoria do ambiente e da convivência escolar. O programa tem como ações a participação de atos cívicos, o desenvolvimento de espírito de civismo e patriotismo, estímulo de atitudes e elaboração e execução de um projeto de valores. 

O plano contará, ainda, com monitor para acompanhamento das atividades fora de sala de aula, bem como a entrada, saída e intervalo dos estudantes. Os organizadores afirmam que militares não ocuparão cargos dos profissionais da educação, e não haverá alteração no conteúdo das disciplinas, em consonância com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). (Da Redação, com informações da Secom Sorocaba)