Escolas do Estado estão autorizadas a receber 100% dos alunos desde agosto deste ano


Distanciamento de um metro não será mais necessário a partir do dia 3 de novembro; só poderão ficar em casa as crianças e os adolescentes que apresentarem atestado médico

O governador de São PauloJoão Doria (PSDB), detalhou nesta quarta-feira, 13, em coletiva de imprensa, como funcionará a retomada obrigatória dos estudantes às aulas presenciais. Como a Jovem Pan antecipou, todos os alunos da rede pública e privada do Estado de São Paulo deverão voltar presencialmente a partir da próxima segunda-feira, 18. Atualmente, a presença dos estudantes nas salas de aula é facultativa. “O avanço da vacinação no Estado de São Paulo e a queda dos indicadores da Covid-19 tornam possível e viável a obrigatoriedade dos alunos em sala de aula”, afirmou João Doria. O secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, enfatizou que 97% dos profissionais da área já foram vacinados contra a Covid-19 no Estado. Entre os alunos de 17 a 12 anos, 90% já receberam ao menos a primeira dose do imunizante. Só poderão ficar em casa as crianças e os adolescentes que apresentarem atestado médico. O secretário ainda lembrou que o intervalo entre as aplicações da Pfizer foi antecipado e que adolescentes de 17 e 16 anos, assim como menores de idade com comorbidades, já podem procurar os postos de saúde para completar o esquema vacinal. Isso aumentará a taxa de estudantes completamente imunizados durante a volta às aulas.

A partir do dia 18, será obrigatória a presença de alunos nas salas de aula na rede estadual. O Conselho Estadual de Educação (CEE) deliberará o prazo para que as escolas privadas se adequem à regra de obrigatoriedade. Em relação à rede municipal, os prefeitos poderão determinar, ou não, o retorno obrigatório, a não ser no caso dos municípios que são regulados pelo CEE. “A cidade de São Paulo tem uma lei específica que regula a rede municipal, inclusive sobre a obrigatoriedade. Por tanto, para a rede municipal, não se aplicará essa regra. Para cidades que têm conselho municipal próprio, outras regras poderão ser aplicadas”, esclareceu Rossieli Soares. A Prefeitura de São Paulo já determinou que as escolas municipais da capital paulista devem seguir a determinação do Estado e retomar as aulas presenciais na próxima segunda-feira, 18. Os conselhos de Educação de outros municípios deverão deliberar sobre o tema ainda nesta semana. As medidas sanitárias contra o coronavírus como uso de máscara e higienização das mãos continuam valendo. Durante o mês de outubro será mantido o distanciamento social com o revezamento entre os estudantes em cada dia da semana, conforme a capacidade física das escolas. A partir do dia 3 de novembro, no entanto, não será mais necessário o distanciamento social de um metro entre os alunos.

Grupos de estudantes que são exceções à obrigatoriedade:

  • Gestantes e puérperas;
  • Alunos acima de 12 anos com comorbidades que não tenham completado o esquema vacinal contra a Covid-19;
  • Menores de 12 anos pertencentes ao grupo de risco para a Covid-19;
  • Condição de saúde de maior fragilidade à doença, mesmo com o ciclo vacinal completo, comprovada a prescrição médica para permanecer em atividades remotas;

Protocolos sanitários que estão mantidos:

  • Uso correto e obrigatório de máscaras;
  • Aferição de temperatura;
  • Pessoas sintomáticas não devem ir à escola;
  • Salas isoladas e arejadas;
  • Casos suspeitos e confirmados devem ser notificados à UBS local e registrado no Simed;
  • Ambientes higienizados;


    Rádio AD Belém 97,9 FM

    Redação, Pastor Daaber Santos

  • Fonte: Jovem Pan
  •  
  • 13/10/2021