Giuseppe Janino alega que acesso ao código-fonte era possível em um outro momento

Giuseppe Janino, ex-secretário de TI (Tecnologia da Informação) do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse que o Ministério da Defesa “perdeu a chance” de realizar o teste das urnas da forma como gostaria. De acordo com ele, que é chamado de Pai da urna, os testes estiveram disponíveis no TPS (Teste Público de Segurança), no ano passado.

– Esse tipo de teste, que eles gostariam de ter feito, é possível nos testes públicos de segurança, que eles tiveram oportunidade de participar e não participaram. No exíguo tempo em que resolveram analisar, isso realmente não seria possível, na amplitude solicitada – disse Janino em entrevista ao UOL.

O analista alega que as execuções no código-fonte não poderiam ter sido feitas quando as Forças Armadas inspecionaram o sistema – de 2 a 19 de agosto deste ano -, mas sim em um evento em outubro de 2021, com a participação de 26 entidades públicas e privadas. Na ocasião, os especialistas puderam fazer experimentos e explorar eventuais vulnerabilidades. Por isso, Janino considera que os militares “perderam a chance” de fazer testes que consideravam fundamentais, em um tempo hábil.

A solicitação do acesso ao código-fonte, com pedido de urgência, foi feita pelos militares no dia 1º de agosto deste ano.

Giuseppe Janino foi apelidado de Pai da urna por ter ajudado a projetar o sistema nos anos 90.

RÁDIO AD BELEM FM 97.9

Fonte; plenonews / radioadbelemnews