O ministro Ricardo Lewandowski, vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e integrante do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu nesta quarta-feira (23) que, se houve algum tipo de irregularidade nas urnas, toda a eleição de 2022 teria de ser anulada.

O magistrado foi questionado sobre a ação ajuizada pelo Partido Liberal (PL) que aponta erros graves no sistema eletrônico. Na visão de Lewandowski, caso essa tese se confirme, também deveriam ser invalidados os resultados para os cargos de senador, deputado e governador.

Ele também citou o prazo de 24 horas dado pelo ministro Alexandre de Moraes, presidente da Corte, para a sigla de Jair Bolsonaro apresentar evidências sobre o alegado mau funcionamento das urnas no 1º turno.

“O ministro Alexandre de Moraes deu 24 horas para eles emendarem a inicial. Concordo. Se o defeito está nas urnas, está tanto no primeiro quanto no segundo turno”, declarou.

“Se alegar defeito e colocar em xeque toda a votação no segundo turno, evidentemente esse defeito estaria no primeiro turno, e teria que se anular toda a eleição para senador, deputado, governador…”, acrescentou.

Conforme noticiado pelo Conexão Política, Valdemar Costa Neto, presidente do PL, pediu a anulação de votos feitos em cinco modelos de urnas, sob a alegação de que houve “desconformidades irreparáveis de mau funcionamento” nos dispositivos da Justiça Eleitoral.

 

Rádio AD Belem FM 97.9

 

Fonte: conexãopolitica / radioadbelem.com

#radioadbelem @radioadbelem